Atenção e Processamento Sensorial

Pode ser muito frustrante para um pai ou professor lidar com dificuldades da criança em dirigir e manter a sua atenção. Se a sua criança tem períodos de pouca atenção, comportamentos desajustados em certos ambientes, ignora instruções e outras pessoas ao seu redor, poderá haver um motivo para essas ações. Elas nem sempre são intencionais, e nem sempre estão relacionadas com défices de atenção ou “mau comportamento”. Poderá ser uma questão de dificuldade no processamento sensorial.

As distrações estão por toda parte, principalmente numa sala de aula, onde existem muitos estímulos diferentes: o barulho dos colegas, os estímulos visuais ao redor (papéis na parede; quadros), os ruídos exteriores, o material necessário para as tarefas, entre outros. Todos estes detalhes minuciosos lutam pela atenção do aluno e mudam o foco que deveria estar na aprendizagem. Às vezes, existe um motivo subjacente para problemas de desorganização. Existe uma componente sensorial.

O processamento sensorial é a maneira pela qual o nosso sistema nervoso periférico (SNP) e o sistema nervoso central (SNC) organizam as informações de todos os inputs sensoriais que recebemos do ambiente, de modo a dar uma resposta adaptativa adequada, para nos permitir realizar tarefas funcionais.

As dificuldades de processamento sensorial afetam todas as ocupações diárias de uma criança: interação com o outro, autonomia, a aprendizagem na sala de aula, etc. Quando uma criança não consegue processar adequadamente os inputs sensoriais, há reações exageradas ou subreações observáveis ​​que resultam em ansiedade, inseguranças, comportamentos como a procura constante de estímulos ou o evitamento de certas sensações. Como resultado, a criança não consegue concentrar- se no ambiente da sala de aula, reter aprendizagens, permanecer nas tarefas, ou executar competências funcionais de forma adequada. A criança com problemas no processamento sensorial pode ter birras frequentes, parecer desajeitada/desorganizada, não ser capaz de tolerar situações específicas e ter dificuldade em ignorar luzes, ruídos e movimentos de outras pessoas.

Dificuldades típicas que são observadas como resultado de desafios sensoriais:

• Inquietação na sala de aula;

• Ir contra outras crianças ao andar nos corredores ou na sala de aula;

• Pressionar com muita força ou levemente o lápis ao escrever:

• Deixar cair itens/objetos com frequência na sua carteira;

• Birras durante as tarefas de grupo em sala de aula;

• Parece distraído enquanto a professora fala;

• Dificuldade nas transições entre as tarefas na sala de aula;

• Problemas para ignorar ruídos ou luzes;

• Distrai-se facilmente com os colegas;

• Deixa cair o lápis ao escrever e não se apercebe;

• Dificuldades na escrita manual;

• Procura estímulos como saltar e ir contra as paredes em casa ou na sala de aula;

Se a sua criança tem dificuldade em manter-se atento durante as aulas e acha que esse aspeto poderá estar relacionado com esta parte sensorial, contacte um Terapeuta Ocupacional com especialização em Integração Sensorial.

Comments are closed.